Cursos

Cursos Regulares

BALLET CLÁSSICO
Gisele Bellot | Júlio César | Paulo Vinícius | Thais Diniz | Izabela Martinêz

São inúmeros os benefícios que o ballet clássico proporciona à criança, ao jovem e ao adulto.
Desenvolver a musicalidade e a expressão corporal em qualquer fase da vida, trás conhecimento do corpo, suas possibilidades e limitações.
A disciplina aplicada à aula se irradia para a vida do aluno, além da sala de aula na escola de ballet, onde a responsabilidade, a autoconfiança o cuidado com as questões do dia-a-dia, por exemplo, são rapidamente observadas.

Com método baseado na metodologia russa, os professores da Gisele Bellot Escola de Dança desenvolvem um curso que é revisto e orientado semestralmente pela direção. Curso esse que já formou bailarinos de carreira consolidada no país e no exterior.

 

PAS DE DEUX
George Michel

O pas de deux ou passo a dois, é uma aula de técnica clássica de complemento tanto para a bailarina – qua já faz a técnica de pontas, quanto para o bailarino.
Dar a base necessária para que a bailarina possa sustentar suas linhas e com suavidade desenvolver os movimentos criados para o casal, se dá a partir das aulas de pas de deux.

Dentro de uma montagem completa de um ballet tradicional, geralmente o ponto alto da história se dá no grand pas de deux, nome dado no ballet de repertório clássico para o pas de deux feito pela primeira bailarina e pelo primeiro bailarino, que na maioria das vezes representa uma união ou casamento, destinado a mostrar sua virtuosidade, e em geral constituido de entrada, adagio, variação para a bailarina, variação para o bailarino, concluindo com uma coda (Achcar, 1998).

 

ALONGAMENTO
Gisele Bellot | Thais Diniz | Izabela Martinêz

Esta aula é direcionada ao público da dança ou não, que de certa forma possui algum encurtamento muscular que o atrapalhe de alguma maneira nas atividades da vida diária, ou até mesmo para uma melhor qualidade de vida.

Também é considerada de complemento para o bailarino ou bailarina, não importando a modalidade da dança praticada, e tem por objetivo auxiliar na execução dos movimentos, de forma que os mesmos ganhem maior amplitude e por consequência o aprimoramento da técnica.

 

APRIMORAMENTO TÉCNICO
Gisele Bellot | Júlio César

Uma aula voltada aos bailarinos clássicos onde a atenção aos detalhes e o trabalho de aprimoramento de alguns fundamentos específicos da técnica clássica é desenvolvido.
Esta aula não segue necessariamente a estrutura de uma aula de ballet, pois se trata de aprimorar a técnica, sendo assim, o entendimento de como é executado o movimento, e a necessidade de realizar o que é proposto, trás os benefícios técnicos e artísticos indispensáveis ao bailarino.

 

DANÇA CONTEMPORÂNEA
André Carlos

A Dança contemporânea não possui uma técnica única estabelecida, todos os tipos de pessoas podem praticá-la.
O corpo na dança contemporânea é construído na maioria das vezes a partir de técnicas somáticas, que trazem o trabalho da conscientização do corpo e do movimento.
Alguns métodos trazem instrumentos para que o intérprete crie suas composições a partir de temas relacionados a questões políticas, sociais, culturais, autobiográficas, comportamentais e cotidianas.
Aliado a isso, viu-se a necessidade da pesquisa teórica para complementação da prática dando ênfase à transmissão de sentimentos, ideias e conceitos.

 

HIP-HOP | CULTURA HIP-HOP
Monika Bernardes | Illgner Lucas

A cultura hip-hop é composta por quatro elementos que são: O DJ | disk-jockey, the beat maker; o MC | master of ceremonies, mic controller, mestre de ceremonial, a vóz do HIP-HOP; o B-BOY ou B-GIRL | dançarino (a) de breaking e o AEROSOL ARTIST | grafiteiro, a expressão da arte de rua.
Os entrelaçamentos desses quatro elementos formam a CULTURA HIP-HOP.
Qualquer pessoa que goste de ritmos pulsantes pode entrar nessa aula, onde a intenção forte dos movimentos e a coordenação dos segmentos corporais se destacam, transformando as combinações coreográficas, colocadas pelo professor, em um desafio alegre de se vencer.

 

JAZZ
Mina Pires

Na sua origem a Dança Jazz tem raízes essencialmente populares. Possui grande influência das danças africanas que se caracterizam pela polirritmia de movimentos, onde diversas partes do corpo seguem padrões diferentes durante a dança, onde a movimentação da cabeça e tronco é muito marcante, os dos movimentos ondulatórios da pelve, além do swing, ou seja, do balanço.
Presente em grandes músicais da Broadway foi no “On Your Toes” de George Balanchine, que este segmento da dança passou a ter seu espaço, neste musical já era possível observar a influência dos ritmos e balanços do jazz no balé clássico e foi a partir desta fase que estas duas modalidades influenciaram uma à outra, enriquecendo as técnicas e movimentações utilizadas no jazz e dando mais liberdade aos movimentos do balé clássico.